28 de maio de 2012

Será que sou assexuado (a)?


   Em nossa sociedade brasileira, que incita o sexo de todas as maneiras, sendo na música, nas propagandas, nas roupas... é difícil admitir que existem pessoas assexuadas, não é mesmo? Mas o que significa essa palavra tão nova se tratando de ser humano?

   Ser assexuado significa ser uma pessoa que possui pouco ou nenhum desejo sexual por outra pessoa, seja do sexo oposto ou do mesmo sexo. São pessoas que tem repulsa ao sexo, namoram sem transar, praticam masturbação e/ou transam sem interesse, para agradar o (a) parceiro (a). Segundo o DSM (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disordes) a assexualidade é definida como Síndrome do Desejo Sexual Hipoativo, ou seja, é considerado um desvio. Mas as próprias pessoas ditas assexuadas, através de seus modos de lidar com esse problema, pregaram na sociedade a imagem de que são pessoas que simplesmente não tem interesse sexual normal, e esconderam suas identidades como pessoas que tem uma patologia e que precisam de apoio.

   Outros fatores também contribuem para o início da falta de vontade de ter relações sexuais como por exemplo, deficiência hormonal, vaginismo, problemas de tireoide ou de ereção, menopausa, hipertensão e/ou diabetes, o que não significa, necessariamente, a assexualidade. Mas as pessoas livres de qualquer doença, começam a ser consideradas assexuadas acima de seis meses sem desejo sexual algum.

   Para a Psicóloga Blenda de Oliveira, ‘todo mundo tem libido e é preciso investigar as causas antes de aceitar a assexualidade como saudável’, ou seja, a qualquer suspeita de que você esteja passando por essa situação, procure especialistas como psicólogos, médicos... a fim de ser feita uma investigação sobre o caso antes de confirmar qualquer hipótese.

   Abaixo, colocarei alguns tipos de assexuados para podermos entender um pouco mais de suas reações perante o ato sexual e os relacionamentos interpessoais.

_ ROMÂNTICOS: Sentem necessidade de carinho e de companhia, mas não tem desejo sexual pelo (a) parceiro (a);
_ RADICAIS: Não transam, não namoram e geralmente sentem nojo de qualquer contato íntimo;
_ DE FASES: São pessoas que passam longos períodos (mais de seis meses) sem desejo de transar, voltam a ter desejo e depois perdem novamente o interesse;
_ AUTOSSEXUAIS: Não sentem atração por outras pessoas mas sentem desejo e se satisfazem com a masturbação;
_ DESINTERESSADOS: Podem fazer sexo para agradar ao (a) parceiro (a), mas não entendem como as pessoas podem gostar do sexo;
_ PLATÔNICOS: Se apaixonam por pessoas ditas impossíveis mas podem se masturbar pensando nelas, sem haver o desejo do sexo em si;
_ FRUSTRADOS: São pessoas que pensam ter desejo sexual e quando fazem sexo, não tiram proveito dele e, depois de muitas frustrações, desistem.

   Agora que já conhecemos um pouco mais sobre esse assunto não tão conhecido, podemos fazer uma auto reflexão e ajudar também as pessoas que estão enfrentando esse problema, lembrando sempre que este é um problema de saúde e não simplesmente uma falta de desejo sexual comum. Compreenda e ajude!

Leia a reportagem da Folha de São Paulo, 27 de Março de 2012 na íntegra:

O Blog Li França Num Papo Cabeça possui caráter informativo. Caso haja alguma dúvida por parte do leitor, não está garantida uma possível devolutiva em decorrência da grande demanda recebida, mas o Blog Num Papo Cabeça recebe, com muito carinho, sugestões de temas de vocês, leitores.
Até mais!
Li França